O crente pode desobedecer o estado? A bíblia ensina que toda autoridade é ordenada por Deus e o cristão tem o dever de respeitá-la. A bíblia também ordena a orarmos por todas as autoridades e por todos os que ocupam cargos de liderança. O problema é quando o estado extrapola os limites ordenados por Deus. O que o crente pode fazer nessa situação?

            Podemos citar como primeiro exemplo de desobediência civil na bíblia o caso das parteiras das hebreias que desobedeceram a ordem de Faraó para matar os meninos hebreus. Os hebreus estavam se multiplicando no Egito. Faraó, então, sentindo-se incomodado com isso, ordenou que os filhos homens das mulheres hebreias fossem mortos quando nascessem, as meninas, porém, deveriam ser conservadas vivas. “E o Rei do Egito falou às parteiras das hebreias (das quais o nome de uma era Sifrá e o da outra Puá), e disse: quando ajudardes a dar à luz às hebreias, e as virdes sobre os assentos, se for filho, matai-o; mas, se for filha, então viva.” (Êx 1.15,16). As parteiras, no entanto, não obedeceram “As parteiras, porém, temeram a Deus e não fizeram como o Rei do Egito lhes dissera, antes conservavam os meninos com vida.” (Êx 1.17). No versículo 20, está dito que Deus abençoou as parteiras por isso “Portanto Deus fez bem às parteiras. E o povo se aumentou, e se fortaleceu muito.” (Êx 1.20).

             O Rei Nabucodonosor construiu uma estátua como um monumento à sua própria grandeza. Ordenou a todos os povos, línguas e nações que estavam sob seu domínio que todos deveriam se prostrar diante dela. Quem não se prostrasse seria na mesma hora lançado na fornalha ardente. Sadraque, Mesaque e Abdenego foram acusados de não adorar a estátua e de desprezar a ordem do Rei. Nabucodonosor os conclamou a obedecer a ordem, mas eles não recuaram “Eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar. Ele nos livrará da fornalha de fogo ardente, e da tua mão, ó rei. E se não, fica sabendo ó rei, que não servimos a teus deuses nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste.” (Dn 3.17,18). Os três jovens foram lançados na fornalha de fogo ardente e foram livrados por um quarto homem que milagrosamente estava com eles na fornalha.

             Os apóstolos foram presos por pregarem a Jesus. Porém, quando estavam na prisão, um anjo do Senhor abriu as portas da prisão e os soltaram e ordenou que os apóstolos continuassem a pregar. Pela manhã cedo, quando os carcereiros foram buscar os prisioneiros não os acharam. Interessante que as celas estavam trancadas e os guardas lá fora, mas os presos já não estavam mais lá dentro. Quando foram soltos os apóstolos obedeceram a ordem do anjo e continuaram a pregar. As autoridades judaicas foram informadas disso e mandaram buscá-los. Atos 5.28,29 resume o comportamento do cristão diante do abuso do estado “Dizendo: não vos admoestamos nós expressamente que não ensinásseis nesse nome? e eis que encheste Jerusalém dessa vossa doutrina, e quereis lançar sobre nós o sangue desse homem. Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: mais importa obedecer a Deus do que aos homens”.

             A obediência ao estado é um dever de todo crente. Mas, quando há um conflito entre a nossa fé e a obediência civil, a desobediência civil é o melhor caminho, pois mais importa obedecer a Deus do que aos homens. Deus atestou esse fato ao abençoar todos aqueles que escolheram obedecê-lo o que obedecer a tirania do estado.